segunda-feira, 3 de março de 2014

Monografia + Dissertação



Olá, leitores


O tema de hoje refere-se à minhas produções acadêmicas, respectivamente minha monografia (1998) e minha dissertação (2010), ambas desenvolvidas na PUCRS/FAMECOS.




No distante ano de 1999 o KISS esteve em Porto Alegre (RS) para um show com a formação original (Gene Simmons, Paul Stanley, Ace Frehley e Peter Criss). Naquela ocasião, minha monografia (orientada pelo Ricardo Severo e intitulada "Kiss, O Mito Vivo") foi destaque na mídia - como pode-se ver no velho e amarelado recorte de jornal (Zero Hora) daquela época:

Capa do Segundo Caderno
Jornal Zero Hora
15/04/1999

Como voces podem ver,
eu já perucava desde a
mais tenra idade.

No meu colo, minha gatinha Júlia
(que está comigo até hoje).

Nesse trabalho, analisei a construção mítica do Kiss e sua aplicação na publicidade e propaganda. Baixe e leia na íntegra clicando no link a seguir:


RESUMO
Este trabalho tem como objetivo principal estudar a construção do mito na sociedade de consumo, tendo como objeto de estudo a banda de rock Kiss, destacando-se a importância do mito para construção da imagem publicitária e aumento de demanda de um determinado produto. Nosso objeto consiste na verificação de que tipo de instrumentos foram utilizados para a construção do mito Kiss, no período compreendido entre 1973 e 1997, a partir de estudos sobre mito, gênero Heavy Metal e sobre Mercado Fonográfico. Para a realização do presente estudo, utilizaremos o Método Monográfico (Lakatos, 1981) que consiste no estudo de determinados indivíduos, profissões ou comunidades com a finalidade de obter generalizações. Como técnica, utilizarmos a Técnica de Pesquisa Bibliográfica em fontes que versem sobre mito, música e sobre nosso objeto de estudo. Como material de apoio, utilizaremos fitas de vídeo, compact discs e revistas.

PALAVRAS-CHAVE: Kiss ; mito ; publicidade ; propaganda ; rock.



75 páginas / 209 Kb / PDF

Baixe clicando aqui.

Como citar este trabalho:
PALUDO, Ticiano. Kiss, O Mito Vivo (monografia). Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 1998.



Como prometido, finalmente estou disponibilizando para download gratuito a minha dissertação de mestrado intitulada "Reconfigurações Musicais: os novos caminhos da música na era da comunicação digital". Esta dissertação será em breve transformada em livro, devido à carência de materiais que abordem produção musical e comunicação social. Por hora, o texto já pode ser consultado, lido e utilizado em trabalhos acadêmicos e científicos. Abaixo, transcrevo o resumo do trabalho:



RESUMO DO TRABALHO
A presente dissertação pretende investigar como os avanços tecnológicos estão influenciando a criação, produção e circulação no campo musical. Este estudo tem como base uma análise desenvolvida através de resgates efetuados por meio de recortes históricos do século XX e XXI no que se refere aos processos de produção musical que se utilizaram e se utilizam de instrumentos eletrônicos (principalmente o computador) e de que forma esses processos se relacionam com a comunicação social e a cibercultura. O trabalho será desenvolvido sob o ponto de vista do pesquisador insider (HODKINSON, 2005).

PALAVRAS-CHAVE: produção musical ; comunicação social ; cibercultura.

Faça o download clicando no link a seguir:

308 páginas / 9Mb / PDF

Baixe clicando aqui.

Como citar este trabalho:

PALUDO, Ticiano. Reconfigurações Musicais: os novos caminhos da música na era da comunicação digital (dissertação). Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 2010.

Meu orientador foi o querido Dr. Carlos Gerbase. Como ele estava em Paris realizando seu pós-doc no dia da defesa (que ocorreu em 19/03/2010), ele foi muito bem representado pelo meu amigo prof. Dr. Eduardo Pellanda. Além dele, compuseram a banca o prof. Dr. João Guilherme Barone (que já havia feito parte da minha banca de monografia) e a amiga prof. Dra. Adriana Amaral (UTP/PR). Abaixo você confere algumas fotos da banca e das comemorações que se seguiram.


BANCA (PUCRS/FAMECOS)

Barone, Pellanda e Adriana Amaral



Eu, defendendo-me!


Barone, contra-argumenta


Acabou!!! Aprovado !!! Mestre !!!


Minha amada esposa Luciana sempre
comigo (ela também defendeu sua dissertação
neste ano). Casal de mestres.


Amigos presentes: Elisa, Eu, Rafael e Liana


E mais amigos: Tietzmann, eu e Cassiano


COMEMORAÇÕES PÓS-BANCA

Em comemoração posterior, meus escudeiros
da PUC e da FACCAT: Zé e Mateus


Minha amiga amada inseparável, Silvana Sandini e
seu igualmente amado marido Renato :)


Só os confirmados: Tietzmann, Adriana
Amaral e Sandra Montardo (Gang PNB)


E da-lhe mais comemorações posteriores...
Eu, Luciana, Tietzmann e Sempé

Em breve, divulgo mais fotinhos.

Por hora era isso. Boas leituras e até o próximo post.

Ticiano.


Semiótica






SEMIÓTICA








1. Livros bacanas para estudar:

SANTAELLA, Lúcia. Estratégias Semióticas da Publicidade. São Paulo: Cengage, 2011.

SANTAELLA, Lúcia. Imagem: cognição, semiótica, mídia. São Paulo: Iluminuras, 2012.

SANTAELLA, Lúcia. Matrizes da Linguagem e Pensamento: sonora visual verbal. São Paulo: Iluminuras, 2005.

SANTAELLA,  Lúcia.
O que é Semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2003.


2. Aula com a Santaella:



3. Vídeo-resumo sobre semiótica:

video

Fonte: http://youtu.be/AIDwRcyb4rw


4- Mais um vídeo de analise semiótica
video

Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=yB6GAB80IP0 



terça-feira, 6 de agosto de 2013

Sistemas Promocionais (Ativação de Marca)


ATIVAÇÃO DE MARCA
(SISTEMAS PROMOCIONAIS)



Queridos alunos:
Links importantes e bibliografia.

1. Prezi sobre Exibitécnica. Clique aqui para baixar.

2. A Exibitécnica nos Supermercados. Clique aqui para acessar.


3. Verbete na Wiki sobre Marketing Promocional. 
clique aqui para acessar.

4. Site da AMPRO - Associação de Marketing Promocional. clique aqui para acessar.

5. PromoView - Portal sobre Promoção. clique aqui para acessar.


6. Talkability - Empresa muito bacana de Marketing Promocional. clique aqui para acessar.


7. The Marketing Store São Paulo. +1 empresa legal. clique aqui para acessar.


8. Bullet Eventos - +1 empresa legal. clique aqui para acessar.


9. Matéria: "Mudança nas regras de concursos culturais." 
clique aqui para acessar.


10. Guia para Promoções no Facebook. 
Download aqui.


11. +2 sites legais sobre promoção (clique nos nomes para acessar): 
Brainstorm9 e Midia8.

12. Material sobre Flagship. clique aqui para acessar.

13. Glossário Termos de Promoção/Merchandising. Download aqui.

14. Software Free para Modelagem de Vitrinismo. Clique aqui.

15. Eficácia Comunicativa do Product Placement (no cinema). REBELO, Rosa Maria Silva. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Portugal. Dissertação de Mestrado. 2009. Download aqui.

16. Product Placement na Série de TV "The Big Bang Theory". BRUM, Roberta. TCC. UNOCHAPECÓ. 2013. Download aqui.

17. Texto 1 sobre Live Marketing. Clique aqui.

18. Texto 2 sobre Live Marketing. Clique aqui.


19. TCC Gabriela Lundardi (tabelas bacanas sobre Branded Content)
     Leia clicando aqui.


BIBLIOGRAFIA:

BIBLIOGRAFIA BÁSICA (03 indicações):
BLESSA, Regina. Merchandising no Ponto-de-venda. São Paulo: Atlas, 2006.

MORGAM, TONY. Visual Merchandising - Vitrines e Interiores. São Paulo: GG Brasil, 2011.

COSTA, Antonio Roque. Marketing Promocional para Mercados Competitivos: planejamento, implementação, controle. São Paulo: Atlas, 2007. 


BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR (05 indicações):
AAKER, David A. Criando e Administrando Marcas de Sucesso. 3.ed. São Paulo: Futura, 2001.

KOTLER, Philip. Administração de marketing: 12.ed. São Paulo: Pearson, 2010.

DEMETRESCO, Sylvia. Vitrina: construção de encenações. São Paulo: Senac, 2007.

PINHEIRO, Eduardo Perrone. Promoção de Vendas e Merchandising. 2.ed. São Paulo: RG, c2004.

SOLOMON, Michael R. O comportamento do consumidor: comprando, possuindo e sendo. 9.ed. Porto Alegre: Bookman, 2011.

OGDEN, James R. Comunicação integrada de marketing: conceitos, técnicas e práticas. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

ZENONE, Luiz Cláudio. Marketing da promoção e merchandising: conceitos e estratégias para ações bem-sucedidas. São Paulo: Thomson, 2005.


LEITURAS SUGERIDAS:

ANDERSON, Chris. Free. São Paulo: Elsevier, 2009.

BEZERRA, Beatriz Braga; COVALESKI, Rogério Luiz. Marketing experimental e criação artística: uma análise da atual demanda de consumo. In: Revista Famecos. V. 21 (2014)
Clique aqui para acessar.

DEMETRESCO, Sylvia. Vitrina: construção de encenações. São Paulo: Senac, 2007.

JENKINS, Henry. Cultura da Convergência. São Paulo: Aleph, 2008.

LINDSTROM, Martin. Brandsense: A Marca Multissensorial. Porto Alegre: Bookman, 2007.

LINDSTROM, Martin. A Lógica do Consumo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

MORGAM, TONY. Visual Merchandising - Vitrines e Interiores. São Paulo: GG Brasil, 2011.

SCHIMITT, Bernd H. Marketing Experimental. São Paulo: Nobel, 2002.

terça-feira, 13 de março de 2012

PRODUÇÃO EM ÁUDIO PUBLICITÁRIO (BIBLIOGRAFIA)




BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

JOURDAIN, Robert. Música, Cérebro e Êxtase: como a música captura nossa imaginação. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998.


LEVITIN, Daniel J. A Música no seu Cérebro: a ciência de uma obsessão humana. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

WISNIK, José Miguel. O som e o Sentido. São Paulo: Cia das Letras, 1999.



BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR:

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. São Paulo: Contraponto, 2000.

ROBERTS, Kevin. Lovemarks: o futuro além das marcas. São Paulo: M. Books, 2004.

LINDSTROM, Martin. Brandsense: A Marca Multissensorial. Porto Alegre: Bookman, 2007.

RAGUENET, Alberto Freire. A Produtora de Áudio Eletrônico: o impacto das mudanças em um contexto de globalização econômica e tecnológica. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 2005. (download aqui)

SHAFER, R. Murray. A Afinação do Mundo. São Paulo: UNESP, 1997.



LEITURAS SUGERIDAS

ANDERSON, Chris. Free. São Paulo: Elsevier, 2009.

BURKE, Peter. Uma História Social da Mídia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

FRITSCH, Eloy. Música Eletrônica: uma introdução ilustrada. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

MENEZES, Flo (org). Música Eletroacústica: história e arte. São Paulo: Editora da USP, 2009.

Revistas Áudio, Música & Tecnologia; Backstage; Computer Music; Future Music; e Sound on Sound.

PALUDO, Ticiano. Kiss, O Mito Vivo. Monografia de Graduação. Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 1998. Online. Disponível em http://bit.ly/bwXC6n

PALUDO, Ticiano . Reconfigurações Musicais: os novos caminhos da música na era da comunicação digital. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 2010. Online. Disponível em http://bit.ly/b0CEiD

PASE, André Fagundes. Som Online: a comunicação musical e suas iconografias no imaginário tecnológico da pós-modernidade. Dissertação de Mestrado. Porto Alegre: PUCRS, 2004.

TREASURE, Julian. Sound Business. London: Management Books, 2007.

Textos elaborados pelo professor com base em sua linha de pesquisa (cybermusic).


PALUDO, Ticiano. Áudio Publicitário = Arte? In: Revista Backstage Ed. 176. Rio de Janeiro: HSheldon, 2009. (download aqui)

PALUDO, Ticiano. Dando nome aos bois. In: Revista Backstage Ed. 174. Rio de Janeiro: HSheldon, 2009. (download aqui)

PALUDO, Ticiano. Um olhar sobre Sgt. Peppers. In: Revista Backstage Ed. 175. Rio de Janeiro: HSheldon, 2009. (download aqui)


SITES COM TRILHAS E EFEITOS SONOROS
Clique Aqui para baixar o PDF.


ESTUDO SOBRE RIMAS NA MPB

http://ecosfalsos.com.br/rimas/


SOFTWARES GRATUÍTOS PARA EDIÇÃO DE SOM /
CONVERSORES DE FORMATOS


Wavosauer  http://www.wavosaur.com

Audacity  http://audacity.sourceforge.net/download

Conversão Online de Formatos variados: http://www.zamzar.com/

sexta-feira, 2 de março de 2012

TECAV

TECNOLOGIAS AUDIOVISUAIS (BIBLIOGRAFIA)





Bibliografia Básica

BURKE, Peter. Uma História Social da Mídia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.

DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. São Paulo: Contraponto, 2000.

WISKIN, José Miguel. O Som e o Sentido. São Paulo: Cia das Letras, 1999.


Bibliografia Complementar

DEFLEUR, Melvin L.; BALL-ROKEACH, Sandra. Teorias de Comunicação em Massa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

FRITSCH, Eloy. Música Eletrônica: uma introdução ilustrada. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2008.

LINDSTROM, Martin. Brandsense: A Marca Multissensorial. Porto Alegre: Bookman, 2007.

ROBERTS-BRESLIN, Jan. Produção de Imagem e Som. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

SHAFER, R. Murray. A Afinação do Mundo. São Paulo: UNESP, 1997.

Leituras Sugeridas

GERBASE, Carlos. Cinco Discursos da Digitalidade Audiovisual. In: Sessões do Imaginário, nº 7. Porto Alegre: FAMECOS, 2001 /online. (download aqui)
< http://caioba.pucrs.br/faenfi/ojs/index.php/famecos/article/view/768 >


KOSSOY, Boris. Realidades e Ficções na Trama Fotográfica. São Paulo: Ateliê Editorial, 1999.
(download aqui)
(leia no Google Books clicando aqui)


KOSSOY, Boris. Revelações à Sombra. In: Revista de História da Biblioteca Nacional. Ano 3, nº 35. Rio de Janeiro: Sociedade dos Amigos da Biblioteca Nacional, 2008.
(download aqui)


PADILHA, Isabel. O Cinema de Fato e de Ficção. In: Sessões do Imaginário, nº 20. Porto Alegre: FAMECOS, 2008 / online (
download aqui)
< http://revistaseletronicas.pucrs.br/famecos/ojs/index.php/famecos/article/view/4822/0 >

PALUDO, Ticiano. Kiss, O Mito Vivo (monografia). Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 1998. Online. Disponível em http://bit.ly/bwXC6n

PALUDO, Ticiano. O Som e o Sentido – Sound Design na Era Contemporânea (ensaio). Porto Alegre, 2007/2012. (download aqui)

PALUDO, Ticiano. Reconfigurações Musicais: os novos caminhos da música na era da comunicação digital (dissertação). Porto Alegre: PUCRS/FAMECOS, 2010. Online.
Disponível em http://bit.ly/b0CEiD


Dicas:

Comprar livros em sebos:
http://www.estantevirtual.com.br

Consultar artigos científicos
http://scholar.google.com

Livros no Google Books
http://books.google.com


Sites com trilhas e efeitos sonoros
Baixo o PDF clicando aqui.

Texto Sebastião Salgado - Zero Hora (15/02/14)
leia clicando aqui.

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Circo Eletrônico (2004/2011)


Eu na época do lançamento do
Circo Eletrônico (2004)


Que circo é esse?

Circo Eletrônico é a fábula da intemporalidade, uma reflexão sobre as relações e a memória. É uma reinvenção da mitologia, da ficção, da história. O espetáculo não conta simplesmente uma história, oferece os elementos para que cada um possa criar a sua. É uma provocação aos sentidos e à imaginação. Usa, de forma arrojada e original, as acrobacias aéreas e de solo, com a criação de novos equipamentos e a utilização inovadora de equipamentos tradicionais; troca os palhaços por bufões que dialogam com a trilha eletrônica composta especialmente para o trabalho.

Parece que foi ontem... Em 2004 o grande diretor de teatro gaúcho Dilmar Messias me convidou para compor temas eletrônicos e fazer a direção musical para um espetáculo de circo novo que ele estava montando. Um circo sem elefantes nem leões, mas repleto de artistas feras. Feras do teatro, acrobatas, contadores de histórias. Nascia assim a trilha do espetáculo Circo Eletrônico.

Convidamos meu grande amigo e DJ Duke Jay, conhecido por seu brilhante trabalho com a banda Bataclã para criar intervenções ao vivo utilizando suas pick-ups sobre as trilhas e texturas sonoras compostas por mim. O espetáculo foi sucesso de crítica e público, tendo sido apresentado em diversas capitais do país. A trilha sonora foi indicada a melhor trilha para teatro adulto no Prêmio Açorianos daquele ano.


DJ Duke Jay e o diretor Dilmar Messias
na pré-estréia do espetáculo em 2004.


Quem quiser reviver esse momento tem três oportunidades agora no mes de maio. E o melhor: de graça.

Quer ouvir dois temas exclusivos criados para o espetáculo?
Clique aqui e aqui e ouça!

E abaixo, vão dois vídeos com matérias sobre o lançamento desse projeto lá em 2004!





SERVIÇO
O que: espetáculo Circo Eletrônico - com o Circo Teatro Girassol
Quando: 26, 27 e 28/05/2011
Horário: 20h
Onde: Largo Zumbi dos Palmares - Cidade Baixa - Porto Alegre / RS
Quanto: free

Veja mais no site oficial do Circo Teatro Girassol clicando aqui.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Fórum da Liberdade 2011 #FL2011


Eu twittando arduamente durante o evento.


Queridos leitores:

Nos dias 11 e 12 de abril de 2011, rolou na PUCRS o Fórum da Liberdade.

Quem quiser saber tudo sobre o evento pode clicar aqui e acessar o site oficial.

Aqui no blog, como de costume (quando participo de algum evento bacana), faço um breve relato de pontos que considerei importantes. São pequenas anotações que fiz para refletir posteriormente e que agora divido com vocês, leitores. As fotos desse relato (obtidas no evento) foram tiradas com a minha camera pelo meu fiel escudeiro e aluno Renan Ramme (valeu, parceiro!). As demais foram colhidas na www. Vamos lá, então...

Indiscutivelmente duas figuras brilharam muito nessa edição do #FL2011: são elas o cantor/agitador/pensador Lobão (@lobaoeletrico) e o jornalista/agitador/pensador Marcelo Tas (@Marcelotas).

Não vou relatar palestra por palestra, mas sim fazer um resumo mais dinâmico em forma de tópicos importantes sobre o que vi/ouvi nesses dias.


O evento começou com a dobradinha Lobão / Peninha. O Peninha foi chato, metido e enfadonho. Ele definitivamente não sabe perucar (se você não sabe o que é perucar, procure aqui nesse mesmo blog e descubra, ou procure no Google)!



Peninha no #FL2011: enfadonho.

Vamos então passear pelo Fórum em forma de hastags!

#LINKS SOBRE O EVENTO
-hastag oficial: #FL2011
-twitter: @fliberdade



#LOBÃO E PENINHA


Algumas falas do querido Lobão (@lobaoeletrico)
- Você só pode existir no Brasil se você não for você.
- O programa da Xuxa era uma fábrica de mini pu**s.

Falas do enfadonho Peninha (@ele não acredita no Twitter)
- Há mercado para ignorantes, também.
- Não acredito no Twitter.
- Criei um personagem [Peninha] para me proteger.
- No Brasil o livro vende pouco por que é caro ou é caro porque vende pouco?



Lobão brilhou muito no evento!

Conhece o blog do Lobão no Tumblr?
Clique aqui e conheça!



#CARLOS DE SOUZA E O DIREITO AUTORAL
Carlos de Souza (@caffsouza) falou sobre direito autoral de uma maneira divertida e profissional. Legal que meus alunos entenderam porque sou tão exigente nas aulas de atendimento da FAMECOS. O cara demonstrou um poder de retórica espetacular e cativou a todos. Parabéns merecidíssimo!


#TERRA NETWORKS
- No site do Comite Gestor de Internet existem bons dados de pesquisa.
Clique aqui e acesse (CGI.BR)
- Faltam pessoas qualificadas para o mercado atual.

Os digital natives são multiplataforma/telas múltiplas
(TV, celular, iPad, etc ao mesmo tempo).




Acabou o papel?
- Jornal popular é gratuíto.
- Revistas segmentadas - gratuítas /pagas.
- TV a cabo certamente tem muito para crescer.
- A inclusão digital gera crescimento.





Dado interessantíssimo do Terra:
400.000 pagam pelo Sonora (clique aqui e saiba + sobre este serviço)


#RONY RODRIGUES E A GERAÇÃO Y
DIGITAL NATIVES E COMPORTAMENTOS CONTEMPORÂNEOS

1- Existem +100 lan houses na Rocinha/RJ



2- Português é a 2ª lingua + falada no Twitter



O Rony Rodrigues (@ronyrodrigues), embora em dia não tão inspirado, apresentou um conceito muito legal de chave como símbolo de liberdade, seja a chave que te abre portas ou que te permite estar trancado dentro delas.




Rony: dia não muito inspirado no #FL2011

Rony apresentou, também, as 3 últimas grandes gerações pós 2ª Guerra até os dias de hoje:


GERAÇÃO 1) Baby Boom
pós 2ª Guerra Mundial que ganhou a chave de casa



GERAÇÃO 2) X
80s que se tranca no seu mundo, mais especificamente,
tem a chave do seu quarto


GERAÇÃO 3) Y/digital natives
0s que tem a chave do mundo (a web)

Digital Natives seguem uma linguagem não-linear de apreensão; aprendem abrindo janelas de navegação simultâneas e via links. Leem "Vovó viu a uva" e já associam a "Vovó" ao Tapa na Pantera (clique aqui) e a Uva ao Lasier Martins (clique aqui).

Aprendem, também, através da chamada aprendizagem tangencial (via games).
Abaixo um vídeo que ilustra esse tema.





Hoje a super-exposição nas redes sociais mostra que a privacidade da Geração X já não é tão importante para a Geração Y - "entre no meu quarto via meu profile no Facebook".


#A EDUCAÇÃO DO FUTURO
No painel que tratou sobre o futuro da educação, foi dito que o futuro está baseado em 3 pontos: ESPERANÇA, LIBERDADE e TECNOLOGIA. O professor do futuro será um organizador de conteúdo. A nova formação deve ser abrangente e aprofundada.






#MARCELO TAS - O CARA

Já no último papo do evento, Marcelo Tas (@marcelotas) complementou, que antigamente o professor era o ÚNICO provedor de informação. Tas ainda ressaltou o que, para mim, é de vital importância nos dias de hoje:

TU ÉS ETERNAMENTE RESPONSÁVEL POR
AQUILO QUE PUBLICAS NA INTERNET.

Tanto ele quanto Madureira (do Casseta e Planeta) e Lobão ressaltaram a importância das midias tradicionais (principalmente o rádio e a TV) e que elas ainda desempenham papel decisivo nos processos comunicacionais, não sendo aniquiladas pela web (aliás, coisa que a Lúcia Santaella já dizia faz tempo).

A palestra de Tas teve como ponto alto a importância do monitoramento responsável e crítico do que é dito na web.
+sobre a palestra do Tas aqui: http://bit.ly/dM7AXP


Por fim, gostaria de agradecer aos meus amados alunos da FAMECOS que estavam firmes e fortes no evento comigo e que me auxiliaram nesse relato emprestando seus notes para que eu pudesse fazer uma boa cobertura ao vivo via Twitter. Obrigado: Larissa Silva, Filipe Medina, Bruno Christofoli, Nicole Sasha, Renan Ramme e Anderson Tubino.


Quem quiser ver +, existe um álbum no meu profile do Facebook sobre o evento. Clique aqui e divirta-se.

Abraços e até o próximo post!